Scania reorganizou serviços para garantir segurança aos clientes

Texto: Carlos Moura
Data: 6 Maio, 2020

A Scania adaptou e reorganizou muitos dos seus serviços para cumprir as medidas sanitárias devido ao surgimento do COVID-19.

A Scania tem vindo a adaptar os seus serviços de assistência a camiões e autocarros para dar resposta às necessidades dos clientes, garantindo, em simultâneo, o nível máximo de segurança e saúde.


A marca sueca implementou um rigoroso protocolo de desinfeção e limpeza, quer das instalações quer dos veículos que acedam às oficinas, incluindo as cabinas. As instalações passaram a dispor de horários especiais de atendimento e todos os colaboradores receberam equipamentos de proteção individual, como máscaras, luvas de nitrilo, óculos de proteção e soluções hidroalcoólicas para desinfeção das mãos.
“Para assegurarmos que os clientes com os serviços parados ou reduzidos, não tenham que realizar manutenções ou reparações quando retomarem a atividade normal, estamos a realizar o transporte das viaturas para as nossas instalações. Situações como turnos já estavam implementados. Isso garantiu a dispersão dos colaboradores e clientes durante o dia ajudando na segurança e capacidade de resposta”, explica Rogério Serralha, Responsável de Serviços da Scania Portugal Vialonga.

A Scania também procedeu a uma reorganização interna para garantir a segurança e a saúde de todas as pessoas nas instalações que passou pela separação física entre os assessores de serviço e os clientes. O contacto direto entre os motoristas e os mecânicos foi interdito e foram tomadas medidas básicas de segurança, que compreende a desinfeção de todas as viaturas que vão ser intervencionadas.
A Scania sublinha que toda a rede está a trabalhar para garantir que os motoristas possam voltar rapidamente à sua atividade. Os mecânicos, assessores de serviço e pessoal de oficina em todas as filiais da Scania em Portugal conseguiram adaptar-se a condições ambientais até agora desconhecidas e difíceis. Neste sentido, Rogério Serralha admite que “foi necessária uma rápida adaptação a uma nova realidade e com mais ou menos dificuldades encontrámos uma maneira segura e eficaz de realizar o atendimento ao cliente e gerir a oficina. A maneira de como nos passamos a relacionar como colegas de trabalho mudou e foi muito importante para chegarmos onde queremos”.

Partilhar