Nova estratégia da Renault nos comerciais para a China

Texto: Carlos Moura
Data: 14 Abril, 2020

Grupo Renault aposta no reforço da joint-venture com a Brillance para os comerciais e cessa as atividades com a Dongfeng relacionadas com a marca Renault.

Comerciais ligeiros e veículos elétricos são os dois pilares da estratégia da Renault para o mercado da China, que levou a uma reorganização da sua estrutura naquele país. Na área dos veículos comerciais, o seu braço armado vai assentar na joint-venture Renault Brillance Jinbei Automotive Co (RBJAC), lançada em dezembro de 2017.
A Jinbei é uma marca estabelecida no mercado chinês, com mais de 1,5 milhões de clientes e cerca de 162 mil unidades vendidas em 2019. Com base na experiência e tecnologias da Renault, a RBJAC está a modernizar e a aumentar a oferta dos modelos da Jinbei, que deverá disponibilizar cinco produtos em 2023.
O interesse da Renault pelo mercado chinês de veículos comerciais está relacionado com a sua dimensão, que atingiu um total de 3,3 milhões de unidades em 2019, apontando as previsões para um crescimento nos próximos anos, designadamente por produtos com um estilo mais europeu.
Relativamente aos ligeiros de passageiros com motores de combustão, o Grupo Renault vai cessar as suas atividades com a Dongfeng Motor Corporation relacionadas com a marca do losango. Os dois construtores continuarão a cooperar com a Nissan numa nova geração de motores, bem como no fornecimento de componentes à Dongfeng e na licença diesel.
Na área dos veículos elétricos também haverá um reforço da parceria entre a Renault, a Dongfeng e a Nissan, que permitirá tornar no Renault City K-ZE num automóvel global. Uma versão derivada, baseada no ‘concept’ Dacia Sprint, será lançada na Europa em 2021. A parceria JMEV, apoiada pela Renault em termos de qualidade e tecnologias, pretende estar presente no mercado chinês de veículos elétricos em 2022 com quatro modelos.

Partilhar