Renault Kangoo Z.E. Maxi 5 Lug

Texto: Carlos Moura
Data: 8 Junho, 2018

Com a introdução de uma nova bateria e de um novo motor, a versão elétrica do Kangoo passa a oferecer uma autonomia real superior a 200 km.

Primeiro grande construtor automóvel a produzir um veículo comercial elétrico em grande escala, a Renault já comercializou mais de 25 mil unidades do Kangoo Z.E., desde o seu lançamento em outubro de 2011. Para consolidar a liderança no segmento, a marca francesa introduziu algumas melhorias neste modelo, que passaram pela introdução de uma nova bateria com 33 kWh de capacidade, um sistema de gestão eletrónica da bateria, uma bomba de calor e um novo motor elétrico R60. O objetivo foi ultrapassar algumas das limitações operacionais do Kangoo Z.E. para percursos diários superiores a cem quilómetros, aumentando a autonomia em 50%.

A gama Kangoo Z.E. está disponível em duas carroçarias – normal e longa – e em derivativos de mercadorias e passageiros. A unidade ensaiada corresponde à versão Maxi de cinco lugares, que tem por base a variante longa, permitindo o transporte de cinco ocupantes em duas filas (2+3) e ainda oferece uma generosa bagageira, com um volume útil de 1,3 m3. O rebatimento dos bancos traseiros permite, caso seja necessário, ampliar o volume útil de carga para os 3,4 m3, disponibilizando uma capacidade quase idêntica à de um pequeno furgão.

O comprimento exterior de 4,66 metros e a altura máxima de 1,80 metros permitem uma utilização fácil em ambiente urbano, assim como o acesso à maioria dos parques de estacionamento subterrâneos. Com uma potência de 44 kW (60 cv) e um binário de 225 Nm, o motor R60 do Kangoo Z.E. proporciona um comportamento ajustado para as necessidades, não impressionando pelas acelerações, pois necessita de 22,0 segundos dos 0 aos 100 km, nem pelas recuperações. A elevada relação peso / potência – em vazio é mais de 1,5 toneladas – penaliza o comportamento dinâmico, especialmente quando é necessário enfrentar subidas mais pronunciadas. Em autoestrada e para não penalizar a autonomia, a velocidade máxima está limitada a 130 km/h.

Economia de utilização

O maior argumento é, sem dúvida, a economia de utilização. Com base na informação do computador de bordo da unidade ensaiada, que indicava um consumo médio de energia de 16,7 kWh/100 km, o Kangoo Maxi Z.E. de 5 Lugares apresenta um custo de 3,2 euros por cada cem quilómetros percorridos, com base na tarifa de baixa tensão normal da EDP Comercial.

A autonomia real de utilização, com condições atmosféricas menos favoráveis durante a realização do ensaio – temperaturas baixas e chuva – variou entre 210 e 220 quilómetros. O tempo de carregamento total da bateria oscila entre as 17 horas numa tomada doméstica ou as 11 horas num posto público normal de 3,7 kW da rede Mobi.E.

Como veículo vocacionado para o trabalho, o interior do Kangoo Z.E. não apresenta grandes luxos ou requintes, caraterizando-se pela simplicidade das suas linhas e pela funcionalidade dos comandos. O painel de instrumentos é dominado por três mostradores circulares que indicam o nível de carga da bateria, a velocidade instantânea e o consumo de energia. Para acionar os modos de condução do veículo existe uma alavanca no meio da consola central.

O nível equipamento da unidade ensaiada também não era particularmente generoso, limitando-se à direção assistida, vidros elétricos dianteiros, autorrádio com leitor de CD, MP3, Bluetooth e comandos satélite no volante, ar condicionado manual, airbag do condutor, sensores de estacionamento traseiros, distribuição eletrónica da força de travagem.

No que se refere ao preço de venda ao público, a versão base do Kangoo Z.E. 33 Maxi 5 Lugares é proposta por 28 414 euros na modalidade de aluguer de bateria (contrato Flex) ou por 36 040 euros, no caso da sua aquisição.

Para utilizações diárias até 200 quilómetros, a versão elétrica do Kangoo com a nova bateria de 33 kWh passa a ser uma utilização viável para a maioria das operações de distribuição urbana, serviços municipais e mesmo para particulares. O preço de aquisição ainda é relativamente elevado comparativamente com a versão de combustão, mas o custo de energia, de 3,2 euros por cada cem quilómetros em tarifa normal, proporciona uma operação muito económica. Por outro lado, os custos de manutenção também são muito baixos. Para muitas atividades, o Kangoo Z.E. deve ser uma opção a levar em conta, assim como o investimento numa wall-box para diminuir os tempos de carregamento e aumentar a disponibilidade.

 

RENAULT KANGOO Z.E. 33 MAXI 5 LUG

PREÇO

28 414€ / 36 040 € (com / sem aluguer de bateria)

MOTOR 

Elétrico; 44 kW (60 cv); 12 000 RPM

BINÁRIO 225 NM

TRANSMISSÃO Dianteira; 1 VEL Aut

PESO 1553 KG

COMP./LARG./ALT. 5,98/2,04/2,59 m

CONSUMO 15,2 kWh (16,7 kWh*)

EMISSÕES 0 G/KM

IUC 0,00€

  • As nossas medições

Artigo publicado originalmente na Turbo Oficina 26, de março de 2018

Partilhar