Megacamiões permitem à Luís Simões reduzir as emissões


Data: 12 Março, 2018

A Luís Simões tem em operação dez megacamiões em Portugal e Espanha, que permitem diminuir os custos de exploração por tonelada transportada, assim como as emissões.

A introdução de megacamiões ou gigaliners permitiu à Luís Simões reduzir em cerca de 30% as emissões de dióxido de carbono por tonelada transportada. A empresa tem em operação veículos com esta configuração em Portugal e Espanha desde 2014 e 2017, respetivamente. A empresa refere que esta solução oferece uma maior eficiência, graças à redução dos custos de exploração por tonelada e que tem origem num menor consumo de combustível e no esforço de investimento. A Luís Simões destaca ainda o menor desgaste das vias rodoviárias, com uma redução de um terço da pressão nas vias, tendo em conta que dois megacamiões de 25,25 metros de comprimento substituem três conjuntos convencionais.

A Luís Simões tem atualmente dez megacamiões em operação em Portugal e Espanha, que foram introduzidos para otimizar o sistema euromodular e acrescentar valor à cadeia de abastecimento dos clientes.

“Em Portugal, a Luís Simões acumula mais de três anos de experiência e 34 mil viagens com euromodulares, e os resultados obtidos são prova viva das vantagens na utilização deste tipo de equipamento, com menor impacto ambiental com destaque para a diminuição das emissões de CO2 por tonelada transportada. Em Espanha, o projeto foi cuidadosamente preparado com provas de acessibilidades, reajustes do modelo operativo de algumas instalações, formação especializada de condutores e técnicos da Luís Simões, tendo contado, ainda, com o apoio e acompanhamento contínuo dos fornecedores dos equipamentos,” refere Cláudia Trindade, Gestora de Frota Ibérica da Luís Simões.

A configuração do gigaliner que circula em Portugal é uma combinação de veículos, senso constituída por um camião de três eixos acoplado a um dolly (pequeno chassis composto por dois eixos, conduzido por uma lança móvel em tudo semelhante a um reboque) com um prato de engate que permite o acoplamento de um semirreboque 13,6m. Esta solução permite circular com um peso bruto até 60 toneladas (sendo o convencional até 40 toneladas), e cumpre os requisitos legais relativos ao raio de viragem e, por ter oito eixos, apresenta pesos por eixo inferiores aos máximos permitidos por lei atualmente, permitindo uma redução estimada em cerca de 30% no desgaste nas vias rodoviárias, comparativamente ao desgaste provocado pelos veículos convencionais (de cinco eixos).

Em Espanha, a empresa adquiriu um conjunto constituído por tração de dois eixos, link trailer e semirreboque convencional, e um conjunto com tração de dois eixos, semirreboque de 13,6m rebocador e reboque de 2 eixos. Uma vez mais a Luís Simões contou com o parceiro Lecitrailer, para o fornecimento dos trailers. As trações adquiridas estão equipadas com os mais recentes sistemas de segurança, desde a suspensão pneumática nos dois eixos, espelhos de ângulo morto, sistema de advertência de abandono da faixa de rodagem, sistema de travagem de emergência, sistema de anti deslizamento das rodas e controlo de estabilidade.

“Optámos por configurações distintas das de Portugal, dado que oferecem mais flexibilidade, em caso de quebras de fluxos. É possível utilizar sempre dois elementos de cada conjunto de uma forma isolada, permitindo reduzir ineficácias operativas e otimizar o investimento. Oferece a possibilidade de utilizar combinações longas quando é permitido, e combinações curtas quando necessário”, refere Cláudia Trindade.

A implementação da frota de camiões euro-modulares de 25,25m tem vindo a funcionar como um processo transversal, desde a criação até à distribuição, através de todas as áreas da cadeia de abastecimento. O uso de veículos modulares com maior capacidade de carga facilita e torna mais eficiente o transporte em curtas distâncias, ao diminuir o número de viagens e, consequentemente, do consumo do combustível.

“O mais recente projeto a este nível arrancou em 2017, desta vez em Espanha, na região de Zaragoza, fruto de um projeto desenvolvido com a Saica que, com 70 anos de história, é uma empresa familiar líder no desenvolvimento de soluções sustentáveis para a embalagem de papel e cartão canelado”, refere Ignacio Gutierrez, Diretor Regional de Transportes da Luís Simões.

Partilhar