Grupo PSA renova gama de pequenos furgões

Texto: Carlos Moura
Data: 26 Junho, 2018

Nova geração do Peugeot Partner, Citroën Berlingo e Opel Combo começa a ser comercializada a partir de setembro. Os pequenos furgões do Grupo PSA são produzidos em Mangualde e Vigo

O Grupo PSA anuncia o lançamento das novas gerações dos modelos Peugeot Partner, Citroën Berlingo e Opel Combo, que deverão ser comercializados, a partir do mês de setembro, em cerca de cem países. Estes modelos inserem-se no segmento dos pequenos furgões, onde o Grupo PSA pretende consolidar a sua posição de líder de mercado na Europa, com uma taxa de penetração de 30% em 2017.

A renovação da gama de pequenos furgões é uma das medidas do plano “Push to Pass” do Grupo PSA para reforçar a sua ofensiva de produto VCL (veículo comercial ligeiro), que se iniciou em 2016 com o lançamento da nova geração de furgões médios, Peugeot Expert e Citroën Jumpy.

Os novos furgões pequenos da Peugeot, da Citroën e da Opel foram desenvolvidos com base na plataforma EMP2 e integra, pela primeira vez, a produção de modelos da marca alemã. Os veículos serão fabricados em Mangualde (Portugal) e Vigo (Espanha).

Para acompanhar o aumento das vendas, o Grupo PSA constituiu uma terceira equipa de produção em Mangualde (225 contratações) e uma quarta em Vigo (900), que estão em operação desde abril e junho, respetivamente.

Para ir de encontro a todas as utilizações, os novos modelos contarão com equipamentos inéditos, até agora, no segmento, oferecendo maiores níveis de segurança (ajudas à condução e à manobras), de conforto (regulações lombares, tratamento acústico) e de funcionalidade (maior cabina, carga útil reforçada, maior comprimento de carga). Os novos Partner, Berlingo e Combo serão propostos em dois comprimentos de carroçaria – 4,40 e 4,75 metros – que disponibilizarão cargas uteis dos 650 aos 1000 kg. O habitáculo poderá ter dois, três ou cinco lugares.

A nível mecânico estão previstos motores a gasolina de 1,2 litros, com 110 ou 130 cv, e a gasóleo de 1,5 litros, com 75 cv, 100 cv ou 130 cv. Estes propulsores já respondem às mais recentes normas de emissões em vigor e estão preparados para o futuro ciclo de homologação WLTP. Os motores a gasolina poderão ser associados a caixas manuais ou automáticas de seis ou velocidades, respetivamente, o mesmo acontecendo para a motorização diesel de 130 cv. As outras duas opções a gasóleo recebem uma caixa manual de cinco relações.

Partilhar