Amazon adquire frota elétrica à Mercedes

Texto: Nuno Fatela
Data: 2 Julho, 2018

A empresa tecnológica norte-americana optou pela versão sem emissões poluentes do Vito para entregar os produtos aos seus clientes de forma muito mais amiga do ambiente. Os Mercedes elétricos da Amazon entram em funções no final do ano. A marca alemã confirmou também para 2019 o eSprinter, e revelou ainda um protótipo deste furgão equipado com células de combustível de hidrogénio.

Uma das principais preocupações das empresas de logística (e de outras que efetuam entregas dos produtos que fabricam) é garantir máxima eficiência e custos mínimos. Daí que cada vez mais firmas deste tipo se foquem nos veículos elétricos como forma de mitigar os custos das suas operações, ao trocar a fatura dos combustíveis por uma bem menos onerosa conta de eletricidade. A mais recente aposta anunciada nesta área foi uma frota de Mercedes elétricos da Amazon.

Foi a marca alemã a anunciar que “no final do ano, a Amazon terá 100 Mercedes-Benz  eVito na sua frota de Bochum e Dusseldorf. Além disso, as duas empresas colaboram com outros parceiros para um conceito de operações mais alargado na zona de Bochum”. Desta abordagem mais abrangente fazem parte as diversas infraestruturas necessárias para os Mercedes elétricos da Amazon alargarem os seus benefícios, incluindo os postos de carregamento, a gestão dos locais de estacionamento e a obtenção de forma automática da condição das viaturas (onde devem estar incluídos os dados em tempo real sobre a sua autonomia).

Além da forte aposta nos modelos de passageiros sem emissões poluentes, protagonizada pelos EQ, a marca da estrela também está bastante interessada nas motorizações elétricas para veículos comerciais e pesados. Além de ter revelado recentemente dois camiões elétricos que chegam ao mercado no final do ano, também anunciou para 2019 a eSprinter com autonomia de 150km e capacidade de carga de 900kg na versão com baterias de 55kWh. Além disso, este modelo também pode ter uma autonomia a rondar os 115km e capacidade de carga de 1040kg, quando equipado com um pack de 41kWh. A marca afirma que “tal como no diesel de entrada de gama, a motorização elétrica do eSprinter gera 84kW e um binário até 300Nm”.

Mas para o Sprinter (cuja terceira geração foi revelada este ano) a marca investiga também uma outra solução “amiga do ambiente”, e que passa pelo recurso às células de combustível de hidrogénio. Para tal, desvendou agora a imagem do Concept Sprinter F-Cell, que combina a tecnologia FCV com a das baterias dos híbridos de Plug-In, o que lhe garante uma autonomia “extra” de 30km com o carregamento externo. Neste protótipo a marca anuncia potência de 147kW e um binário de 350Nm, enquanto a autonomia poderá ascender aos 530km com os tanques de hidrogénio de maior capacidade.

Partilhar